Ipsis Litteris

NOSSO ESCRITÓRIO DEPOIS DA SÍNDROME DE DOWN

Antes, no nosso escritório de advocacia, passos apressados transitavam pelas salas. A concentração era absoluta em frente aos computadores. As conversas amenas eram poucas, já que nossa profissão exige muita atenção para entender a dimensão dos anseios dos clientes e a melhor estratégia na busca de seus direitos.

Não tínhamos muito tempo para sorrir e até mesmo para celebrar. Não imaginávamos que no meio de tanto estresse, poderíamos nos dar o direito ao encantamento. Diante da morosidade da justiça e dos percalços do dia a dia - desta bonita, mas difícil profissão-, ficávamos incrédulos quando diziam que o labor poderia ser mais leve.

Foi assim, até a chegada da estagiária Jaqueline, portadora da Síndrome de Down. Isso foi há três anos e mudou totalmente nosso olhar para a vida e para a profissão. Com seus olhinhos espertos ela foi devagar, fazendo nascer em nós o encantamento. Ela nos ensina que a sinceridade é uma qualidade imbatível e que deve ser usada em qualquer circunstância.

Podemos ver mais gente sorrindo, gargalhadas ecoam de vez em quando, nos tirando da concentração. Ela é o termômetro da energia que circula no ambiente. Se quisermos ouvir a verdade, por mais dura que seja, é só perguntar pra ela: a resposta vem de pronto e sem meio termo.

Aqueles olhinhos pequenos nos observam de esguelha  e quando o mundo parece desabar ela vem com: “Eu te amo”. Num instante o mundo se recompõe com mais beleza e luz!

Aprendemos com ela a celebrar mais. Aliás, as comemorações são mais especiais se ela está presente, dando seus gritos de alegria. Ela também nos ensina a reavaliar o sentido da vida e a dimensão da felicidade.  Hoje, sabemos que para ser feliz é preciso tão pouco!

Ainda continuamos concentrados, buscando as melhores teses na defesa dos interesses dos nossos clientes. Ainda precisamos estudar diuturnamente e montar estratégias que vão nortear o destino das ações e, por consequência, a vida dos nossos constituintes.

Mas hoje temos no nosso dia a dia o tempero da alegria, uma pitada de ingenuidade, uma porção grande de sinceridade.
E justiça seja feita, Jaqueline nos dá diariamente essa receita.

Não é por acaso que hoje se comemora também o dia da poesia. A poesia tinha que caminhar junto com a Síndrome de Down. Certamente o poeta ao escrever seus versos, ao compor suas rimas, conheceu antes um portador da Síndrome de Down. Lá encontrou a singeleza, a magia, a ternura, a paz.

Ficamos todos meio poetas também com este contato diário e só temos que agradecer.

Obrigada Jaqueline, com você nossa profissão ficou mais leve, nossa vida mais feliz.

Através de você o Escritório Mirian Gontijo Advogados Associados faz hoje uma homenagem a todos os portadores da Síndrome de Down.

Autor: Mírian Gontijo Moreira da Costa

Fonte: Mírian Gontijo Moreira da Costa